sub_topo_voltar_camille__rodin_isadora

De volta a São Paulo em novembro, em curta temporada no MASP, os espetáculos Camille & Rodin e Isadora

As duas peças têm direção de Elias Andreato e trazem em cena atores de destaque do teatro e televisão, além de serem concebidas pela mesma equipe de cenografia, figurino, música e iluminação.

Teaser Camille & Rodin https://vimeo.com/70094124

Teaser Isadora: https-//vimeo.com/171467881

O Auditório Unilever do MASP recebe, a partir de 3 de novembro, em temporada comemorativa, as peças Camille & Rodin e Isadora, que tratam de grandes artistas e  que estrearam e tiveram temporadas de sucesso nesse mesmo teatro. Somente duas semanas de apresentação de cada peça, a preços populares.

De 3 a 13 de novembro, com sessões de quinta a domingo, Camille & Rodin conta a trágica história de amor dos escultores franceses Auguste Rodin (1840-1917) e Camille Claudel (1864-1943). Encenada por Leopoldo Pacheco e Melissa Vettore, estreou em 2012, na reabertura  do auditório do MASP para teatro, onde ficou em cartaz durante um ano, em temporada popular. Foi apresentada em 17 cidades brasileiras, do Norte ao Sul do país, em teatros como o Theatro Amazonas (Manaus), Theatro da Paz (Belém), e Theatro São Pedro (Porto Alegre), com mais de 200 sessões e 120 mil espectadores. O retorno a São Paulo comemora os 4 anos de estrada.

De 17 a 27 de novembro, também de quinta a domingo, Isadora conta a história da bailarina, pensadora e revolucionária Isadora Duncan (1877-1927). Traz no elenco, Daniel Dantas, Melissa Vettore, Roberto Alencar e Patricia Gasppar. A trilha sonora é executada ao vivo por Jonatan Harold (piano e acordeom). Estreou em maio de 2016, no Masp, e já esteve em cartaz no Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Concepção e montagem de Camille & Rodin

O projeto foi idealizado por Melissa Vettore e Leopoldo Pacheco. O autor Franz Keppler desenvolveu a dramaturgia a partir de pesquisa realizada em parceria com Melissa Vettore, baseando-se nos principais biógrafos dos escultores, com destaque para Reine Maire Paris (sobrinha neta de Camille), a autora Liliana Wahba, e a partir da análise crítica e poética de Paul Claudel (irmão de Camille).

O diretor Elias Andreato foge da forma teatral tradicional de apresentar biografias. O que interessa para ele é o sentimento essencial que estes artistas trazem e que renova o olhar atual. A encenação é marcada pela expressão corporal dos atores, a partir das esculturas de Camille e Rodin e pelo acabamento da expressão vocal.

Esculturas de argila são feitas em cena pelo ator Leopoldo Pacheco e a trilha sonora foi criada com instrumentos de orquestra. O cenário reproduz o “Retiro Pagão”, uma casa alugada por Rodin, com portas e janelas que favorecem a iluminação alternando os ambientes do grande ateliê dos artistas e o asilo onde Duncan terminou seus dias.

Ao chegar à cidade de Paris, muito jovem, Camille Claudel se torna aluna, discípula e amante de Auguste Rodin. Tendo que combater o preconceito da sociedade como mulher e artista. Ao posar para ele, como sua assistente, fascina-o com sua personalidade. O diálogo amoroso se torna presente nas obras de ambos. A intuição criativa de Camille e o apuro conquistado em anos de estudo por Rodin tornaram suas obras muito próximas, a ponto de não se saber se mestre e aluna inspiraram-se ou se um copiou o outro, promovendo um embate de natureza artística entre eles.

Depois de quinze anos de tortuoso relacionamento, o rompimento definitivo marca a vida e a obra deles para sempre. Auguste Rodin se torna o maior escultor de todos os tempos. Camille Claudel, após longo período debatendo-se em dificuldades financeiras, lutando contra a rejeição da família e o preconceito da época por ser mulher, solteira e artista, entrega-se à solidão e à loucura. Por iniciativa de seu irmão, foi internada, aos 49 anos, à força em um manicômio, onde permanecera por trinta anos.

Concepção e montagem de Isadora

Idealizado por Elias Andreato em parceria com Melissa Vettore, o espetáculo discute a criação artística. O texto foi desenvolvido por Melissa Vettore, com colaboração de Elias Andreato e Daniel Dantas, por meio de pesquisa realizada a partir da autobiografia da bailarina, de documentos, documentários, discursos, coreografias e cartas. A peça reinventa os últimos dias de Isadora Duncan em Nice, na França, após o retorno de um conturbado período vivendo na Rússia.

Em um quarto de hotel, Isadora (Melissa Vettore) conhece Henry (participação especial do ator Daniel Dantas), um misterioso editor interessado em publicar seu livro de memórias. Estabelecem um jogo de provocações, que faz Isadora se confrontar com a imagem da artista provocante e libertária, revelando uma mulher humana, solitária e frágil. Ao lembrar-se da juventude ao lado dos irmãos que formam o Clã Duncan e recriar algumas coreografias, ela desperta o pensamento sobre o corpo da mulher, o amor, a dança, a educação, os sonhos e o espírito livre.

A dança, as artes e o amor moveram a caminhada de Isadora Duncan por vários países e levaram à criação do espetáculo, a partir da tradução e adaptação das cartas, biografias e manuscritos da artista; além da linguagem corporal, baseada na releitura de algumas de suas coreografias.

Artista percursora da dança moderna, Isadora Duncan negou-se a comercializar o corpo da mulher na dança. Empenhada em construir uma ‘nova escola’ para crianças, partiu com seus irmãos, dos EUA para a Europa e Rússia. Afirmava que sua dança era símbolo da nova educação e da liberdade e era contra a técnica repressiva do ballet. Para ela a dança era “o movimento do corpo em harmonia com a natureza’.

Libertadora e afirmadora do Éros (o deus do amor) as reflexões de Isadora Duncan, sobre o direitos das mulheres, a arte e a liberdade, ainda permanecem extremamente atuais.

Ficha Técnica Camille & Rodin:

Direção: Elias Andreato. Dramaturgia: Franz Keppler. Elenco: Leopoldo Pacheco e Melissa Vettore. Pesquisa: Melissa Vettore e Franz Keppler. Desenho de Luz: Wagner Freire. Cenografia: Marco Lima. Trilha sonora: Jonatan Harold. Figurino: Marichilene Artisevskis. Operador de Luz: Djalma Das. Operador de Som: Eder Soares. Preparação Vocal: Edi Montecchi. Fotografia: Alexandre Catan. Desenho Gráfico: Simone Drago. Mídia Digital e Video: Olhar Multimídia – Bel Gomes. Direção de Produção: Melissa Vettore e Bel Gomes. Produção Executiva: Keila Mégda Blascke. Assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli.  Realização: Melissa Vettore – Dramática Produções Artísticas. Idealização: Melissa Vettore e Leopoldo Pacheco. Apoio: Porto Seguro.

Ficha Técnica Isadora:

Idealização: Elias Andreato e Melissa Vettore. Direção: Elias Andreato. Dramaturgia: Melissa Vettore. Colaboração Dramatúrgica: Elias Andreato e Daniel Dantas. Assistência de Direção: André Acioli. Elenco: Daniel Dantas (participação especial), Melissa Vettore, Patrícia Gasppar e Roberto Alencar. Piano Ao Vivo: Jonatan Harold. Iluminação: Wagner Freire. Cenário: Marco Lima. Figurino: Marichilene Artisevskis. Trilha Sonora: Jonatan Harold. Direção de Movimento: Renata Melo. Coreografias: Renata Melo, Roberto Alencar, Patricia Gasppar, Melissa Vettore e André Acioli. Produção de Imagens em vídeo: Marco Vettore. Fotografia: João Caldas. Desenho Gráfico: Simone Drago. Direção de produção: Melissa Vettore. Produção executiva: Keila Mégda Blascke. Assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli. Administração: Sonia Odila. Produção e realização: Dramática Produções Artísticas.

SERVIÇO:

CAMILLE & RODIN

De 3 a 13 de novembro – Quinta, sexta e sábado, às 21h. Domingo às 19h30.

Ingressos: R$40 e R$20 (meia-entrada) – Desconto de 50% para clientes Porto Seguro.

Duração: 75 minutos.

Classificação: 12 anos.

ISADORA

De 17 a 27 de novembro – Quinta, sexta e sábado, às 21h. Domingo às 20h.

Ingressos: R$40 e R$20 (meia-entrada)

Duração: 75 minutos.

Classificação: 12 anos.

*No dia 24/11, quinta-feira, não haverá espetáculo.

Obs.: O ingresso de um espetáculo dá 50% de desconto na compra do ingresso para a outra peça (apresentando o bilhete na bilheteria).

AUDITÓRIO MASP UNILEVER

Av. Paulista, 1758. Telefone para informações – 11 3159 5959.

Capacidade: 374 lugares.

Bilheteria: Terça a domingo: das 10h às 17h30. Quinta-feira: das 10h às 19h30. Em dias de espetáculo nos Auditórios, a bilheteria funcionará até o horário de início da apresentação. Aceita dinheiro, débito e crédito a vista.

Estacionamento Conveniado: PROGRESS PARK Avenida Paulista, 1636 / CAR PARK Alameda Casa Branca, 41.

Vendas – www.masp.org.br e www.ingressorapido.com.br

Sobre o diretor Elias Andreato

Ator, diretor e autor brasileiro. Tem uma visão especial sobre o trabalho do ator e da dramaturgia autoral. Ganhou inúmeros prêmios como diretor e ator, em um extenso currículo onde se destaca Van Gohg, Artaud, Oscar Wilde, Édipo Rei. Dirigiu diversos espetáculos, entre eles, os mais recentes: Camille e Rodin, Rei Lear, Myrna Sou Eu, Eu Não Dava Praquilo, A Casa de Bernarda Alba, Florilégio Musical II – Nas Ondas do Rádio, Jocasta, Meu Deus, Elza & Fred e A Graça do Fim. Está em cartaz como ator na peça Dona Bete, de Fauzi Arap, e Esperando Godot, de Samuel Beckett.

Sobre Melissa Vettore

Tem uma trajetória no teatro que inclui drama e comédia. Formou-se no Indac, com formação do CPT de Antunes Filho. Completou sua formação em NY e Barcelona. Possui formação em dança e sua expressão corporal delicada é uma qualidade em seu trabalho. Trabalha em novelas e séries de televisão. Forma o casal protagonista do filme Entre Vales, lançado em 2016. Fez a novela Insensato Coração, Viver a Vida e os seriados Mothern (GNT), Maysa (TV Globo), Tapas e Beijos (TV Globo), 3 Terezas (GNT) e O Homem da sua Vida (HBO). Fez a preparação corporal de Juca de Oliveira em Rei Lear, e de Elias Andreato em Esperando Godot.