sub_topo_voltar_cavalo_com_h

Espetáculo Cavalo com H usa do sarcasmo para falar sobre a solidão contemporânea

(Assessoria de imprensa)

Uma mulher, um punk e um cavalo. Esses são ingredientes do espetáculo Cavalo com H, montagem do autor Luciano Ferrari que estreia dia 1º de agosto, sábado, às 21 horas, na sala experimental do Teatro Augusta. A comédia de humor ácido com toques sarcásticos traz no elenco Natália Albuk, Diego Rodha e Luciano Ferrari, que também assina a direção.

O espetáculo trata de temas como a inadequação social, a vida nas grandes cidades e principalmente a solidão. Na trama uma mulher isolada em seu apartamento estabelece um relacionamento que transita entre o real e o imaginário. Para o autor ser solitário pode levar à observação da vida e aflorar a criatividade, mas tem um lado negativo quando o isolamento leva à amargura. “Na peça, a solidão levanta outras questões como a incomunicabilidade, a neurose e a paranoia nos levando a refletir sobre nosso cotidiano urbano no mundo contemporâneo que nos cerca”.

Luciano Ferrari escreveu uma primeira versão do texto em meados dos anos noventa. “Eu havia chegado à São Paulo há pouco tempo. Como sou do interior do Estado, havia em mim uma vivência rural muito forte, acredito que o choque da urbanidade com as referências rurais que eu trazia me levou a imaginar a história de uma personagem que cria um cavalo dentro de casa”, conta. As dificuldades afetivas e emocionais trazem à cena uma autêntica comédia nonsense, repleta de ironia e crítica social.

Triângulo amoroso

Fridolina é uma mulher de meia idade que vive reclusa em seu apartamento numa grande metrópole. Neurótica, amarga uma vida estéril e cheia de revolta com o mundo ao seu redor.
Dando asas à sua imaginação delirante busca em experiências do passado um personagem que marcou sua trajetória de vida, um cavalo do haras do avô, o seu preferido na infância. O cavalo surge misteriosamente, numa espécie de projeção do seu imaginário.

A relação de Fridolina com o habitante imaginário é conflituosa. Ela renega o animal como uma mãe em crise pós-parto, mas cuida dele apesar de perceber nele as sombras de acontecimentos que a abalaram na infância. Decide então vende-lo e atrai um atípico comprador, um punk que cansado de andar quer usar o cavalo para se locomover. O que era para ser um acordo comercial, acaba num acordo matrimonial. Forma-se então uma bizarra família constituída por Fridolina, o marido punk e seu cavalo.

Luciano Ferrari buscou evidenciar o aspecto onírico do texto, mas sem deixar de lado uma certa mordacidade cômica. “O humor ácido está presente todo o tempo por meio das observações irônicas da protagonista e das diversas situações improváveis pelas quais as personagens passam.”

Direção de arte

A peça tem como cenário o apartamento de Fridolina. Objetos e mobiliário cênicos transitam sobre o palco conforme as mudanças de cenas. A direção de arte buscou um apelo visual forte realçando o aspecto onírico do texto. A cenografia de Paula de Paoli remete ao Expressionismo Alemão que abusava das distorções espaciais e estéticas. Composições de Ennio Morricone, usadas em diversos filmes do gênero Western Spaguetti italianos, dão o clima da trilha sonora elaborada pela Studio Um. “Acredito que esses elementos são impregnados de senso de humor que contribuem para a dramaticidade do espetáculo”, completa o diretor.

Sobre Luciano Ferrari

É autor, diretor, ator e figurinista. Formando em artes pela Teatro Escola Célia Helena, integrou o núcleo de pesquisa cênica no CPT – Centro de Pesquisa Teatral, com direção de Antunes Filho, no ano de 1997.

Estreou como autor e diretor com o espetáculo O Elfo, no Espaço Cutural Piolin, em 1998. Dirigiu e escreveu a peça Monólogo da Falsa Magra, em temporada no Viga Espaço Cênico, em 2013. A peça deu inicio a parceria com a atriz Natália Albuk, que agora também está em cena em Cavalo com H.

Como figurinista realizou diversos trabalhos na área cultural como os ensaios do grupo Timbalada, no Museu do Ritmo em Salvador, série televisiva Judas Iscariotes, com direção de Juan Pablo Pires e produção FOX Brasil e Zodiac, 2014; o clipe Tic Tic Tati da cantora Fortuna com direção de Tata Amaral, entre outros.

Assinou o figurino das peças Louca de Amor, Quase Surtada, direção de Lena Roque, no Teatro Eva Herz. Monga, direção Juliana Sanches, com a atriz Maria Carolina Dressler, no Sesc Santo André; Finalmente Juntos, direção Isser Korik, no Teatro Folha; Coração Bandoleiro, com direção de Roberto Lage, no Teatro Cacilda Becker; Coquetel de Fadas, direção de Alexandra Golik, no Teatro Vira da Lata. Hoje tem Mazzaroppi, direção de Hugo Coelho, no Teatro União Cultural; Garota Número Um, direção de Tatiane Daud com Monique Alfradique e Fabiano Augusto, no Teatro Ressureição.

 Criou os figurinos de importantes musicais como Shrek O Musical, direção de Diego Ramiro, com Rodrigo Santana, Diego Luri, Sara Sarres, no Teatro João Caetano e Enlace – A Loja do Ourives Musical, direção de Roberto Lage, com Cláudia Ohana, Rodrigo Pavanello, Camilla Camargo e elenco, no Centro Cultural João Nogueira (RJ).

Ficha técnica

Texto e direção: Luciano Ferrari. Elenco: Natália Albuk, Diego Rodha e Luciano Ferrari. Cenografia: Paula De Paoli. Figurino: Lord Lu.
Iluminação e
Trilha Sonora: Studio Um. Programação Visual: Karina Kasugue. Direção de Produção: Elen Zamith. Assessoria de imprensa: Adriana Balsanelli. Produção: Lord Lu Entretenimento.

Para roteiro

CAVALO COM HEstreia dia 1º de agosto, sábado, às 21 horas, no Teatro AugustaSala Experimental. Ingressos: R$ 40,00 inteira, R$ 20,00 meia (mediante apresentação de comprovante). Horários: Sextas 21h30, sábados 21h e domingos 20h. Gênero: Comédia. Duração: 85 Minutos. Classificação: 16 anos. Até 30 de agosto.

Teatro Augusta – Rua Augusta, 943. Consolação. Telefone – 11 3151-4141. Sala Experimental. Capacidade: 50 Lugares. Aceita cartões de crédito e débito. Vendas pelo site www.compreingressos.com ou pelo telefone 11 2122-4001.